A Lâmina da Morte (aka The Hand of Death, 1976), John Woo

HandOfDeathPoster

por Takeo Maruyama

Um filme em que Jackie Chan atua ao lado de Sammo Hung e dirigido por John Woo. A parceria dos sonhos? Se essa colaboração tivesse rolado em meados da década de 80/90 a resposta seria sim, e o filme resultante seria uma obra-prima em potencial, mas estamos falando de um filme produzido em 1975/76, onde os acima citados grandes nomes do cinema de Hong Kong ainda não tinham mostrado a que vieram.

Sammo Hung – ou Hung Ching Pao, seu nome em mandarim, como aparece nos créditos – já era o principal coordenador de dublês da Golden Harvest, e apesar de anteriormente já ter atuado em alguns clássicos com Angela Mao (como Lady Whirlwind e Hapkido, ambos dirigidos por Huang Feng, um diretor que merece ter um mês dedicado a ele aqui no Dia Da Fúria) ainda não era um nome conhecido do grande público. Jackie Chan – na época usando o pseudônimo Chan Yuen Lung – ainda era um simples dublê no meio de tantos outros, e que só conseguiu um papel de mais destaque nesse filme por influência de Sammo. Já Wu Yu Sheng (o nome internacional “John Woo” seria adotado posteriormente) era mais conhecido no meio como ex-diretor-assistente do lendário Chang Cheh.

HandOfDeath

O astro do filme na verdade é Tan Tao Liang, mestre coreano de taekwondo, descendente de taiwaneses, conhecido como um dos primeiros grandes chutadores do cinema de Hong Kong e mestre na vida real de outro grande chutador, John Liu. Liang é Yun Fei, um discípulo de Shaolin cuja missão é escoltar um mensageiro (John Woo) até o outro lado do rio pra entregar um importante documento aos rebeldes, e matar Shih Shao-feng (James Tien), um renegado que está eliminando todos os discípulos de Shaolin em favor dos Manchus. Inicialmente Yun Fei tenta enfrentar Shih Shao-feng sozinho, mas depois de quase ser morto, se junta a outros rebeldes (entre ele, Jackie Chan) e treina exaustivamente pra conseguir derrotar Shih Shao-feng e escoltar o mensageiro são e salvo até seu destino.

John Woo já citou em várias entrevistas a grande influência de Chang Cheh em seus filmes, e isso é bem evidente em A Lâmina Mortal, já que esse roteiro manjado é tematicamente muito similar ao famoso “Ciclo Shaolin” que Cheh dirigiu na época (basicamente patriotas Ming que viram lutadores Shaolin e combatem a opressão dos Manchus depois da destruição do Templo Shaolin, vide O Templo de Shaolin, Vingadores de Shaolin, 2 Heróis, 5 Mestres De Shaolin, etc) . A ausência de personagens femininas na estória e o grande companheirismo entre os heróis, que não hesitam em se sacrificar uns pelos outros, também são as principais características que Woo herdou de Cheh não só nesse mas em todos os seus principais filmes. A propósito, na cena em que Tan Tao Liang e Jackie Chan se conhecem, eles trocam um sorrisinho meio suspeito, bem à lá Brokeback Mountain. Mas deixa esse detalhe pra lá…

Certamente a grande maioria das pessoas que assistiram A Lâmina Da Morte (rebatizada posteriormente como A Lâmina Fatal) foi por causa de Jackie Chan ou John Woo. E certamente a decepção foi grande pois esse filme não dá nenhuma pista de que eles seriam no futuro os grandes ícones que definiriam, cada um à sua maneira, novos padrões pros filmes de ação de Hong Kong.

A dramaticidade e a intensidade que costumamos ver nos filmes posteriores de Woo é quase caricata nesse filme, em parte culpa dos atores. Jackie Chan, por exemplo, chega a causar constrangimento na cena em que tem que expressar ódio ao relatar o assassinato do irmão a Tan Tao Liang. O fato dele na época ainda não ter feito aquela cirurgia nas pálpebras para criar dobras (conhecida como cirurgia de “ocidentalização”) talvez justifique um pouco sua falta de expressividade. Mas o pior ator do filme, acreditem se quiser, é o próprio diretor John Woo! Na seqüência final, ao ver seus guarda-costas se sacrificando um a um, ele precisaria expressar aflição e preocupação, mas parece estar achando graça com um sorrido mal disfarçado!!!! Falando em sorriso, um dos detalhes mais engraçados em A Lâmina da Morte é a gigantesca dentadura que Sammo usa em sua caracterização de chefe da guarda do vilão principal.

John Woo

As lutas, coreografadas por Sammo, são irregulares. Algumas são muito boas, como a seqüência inicial do massacre no Templo Shaolin ou a luta de Jackie Chan contra os dois guarda-costas do vilão que mataram seu irmão, mas no geral os combates não têm nada de especial. Nem os sensacionais chutes de Mestre Tan são explorados como deveriam. Quem quiser ver uns filmes realmente bons com mestre Tan, procure títulos como Tempo De Vingança (The Hot, The Cool & The Vicious), O Tesouro De Shaolin (Shaolin Deadly Kicks), Conexão Hong Kong (Tattoo Connection/Black Belt Jones 2) e principalmente The Leg Fighters.

Concluindo, A Lâmina Da Morte não é exatamente um filme ruim. É apenas um filme comum da época, com direção, roteiro, atuação e lutas idem. Se não fosse pelos grandes nomes envolvidos nele, seria apenas mais um filme esquecido nas prateleiras dos colecionadores hardcore de filmes de kung fu. John Woo só conseguiria realizar um filme realmente relevante pro gênero em 1979, com a obra-prima (pelo menos pra mim) Jugular Blindada (Last Hurrah For Chivalry).

Algumas curiosidades sobre o filme :

  • Como muitos outros filmes da Golden Harvest, A Lâmina Da Morte foi filmada na Coréia do Sul, em parceria com um estúdio coreano, International Movie Co. Metade da equipe era coreana e metade de Hong Kong.
  • O papel de Jackie Chan inicialmente estava nas mãos de um ator coreano. Ele foi considerado velho demais pro papel e incapaz de realizar as cenas de lutas, por isso colocaram Jackie no lugar.
  • A Lâmina Da Morte foi lançado nos cinemas de Hong Kong em 15 julho de 1976 e ficou apenas 2 semanas em cartaz. Na Coréia foi lançado em 23 de agosto de 1975, quase 1 ano antes de Hong Kong, e numa versão extendida de 106 minutos! Quem falou que só os japoneses têm o luxo de terem versões com cenas a mais?
  • Embora o papel de Jackie seja bem dramático como o filme todo, ele já demonstrava seu talento cômico numa cena em que ele vai entrar na cidade, leva um chute na bunda dos guardas do portão e faz uma careta simplesmente ridícula.

Careta De jackie

  • A Lâmina Da Morte é também a primeira vez onde os “3 irmãos” da Ópera de Pequim (Jackie, Sammo e Yuen Biao) aparecem no mesmo filme. No entanto, a participação de Yuen Biao não passa de alguns segundos. O trio conquistaria um sucesso estrondoso alguns anos depois em Projeto China (Project A) e na série Lucky Stars (Winners And Sinners, My Lucky Stars, Twinkle Twinkle Lucky Stars).
  • Ao filmar uma das cenas de luta, Jackie bateu a cabeça e caiu desmaiado. John Woo entrou em pânico e foi logo chamar uma ambulância, achando que Jackie ia morrer. Ao voltar, Jackie já tinha acordado e queria repetir a cena. Dizem que até hoje John Woo se sente desconfortável ao assistir um filme de Jackie, pois ele sente que algo terrível pode acontecer no filme durante as cenas arriscadas!!

2 cleef

6 thoughts on “A Lâmina da Morte (aka The Hand of Death, 1976), John Woo

  1. Ainda não assisti aos filmes de Kung Fu do Woo, tenho vontade de ver esse, mesmo sendo aparentemente tão genérico. Aliás, uma pena que ele tenha decidido não se meter mais no gênero. Uma coisa que sempre me chamou a atenção é o fato do Dorian Tan ter se tornado um astro de cinema, o bicho é feio e zarolho. Ainda bem que o pessoal era meio que “ruim das pernas” quando ele apareceu.

    • Não só o mestre Tan, mas vários astros de kung fu dessa época eram muito feios, he, he, he. Nessa época davam mais importância às habilidades reais de kung fu do que boa presença cênica. Só nessa época mesmo pra bichos feios como John Liu, Bruce Liang, Hsiao Ho, Jimmy Wang Yu entre outros virarem galãs de cinema. Poucos eram realmente charmosos como Ti Lung, Leung Kar Yan e Bruce Lee.

      Por outro lado, hoje em dia só tem cantorzinho pop fazendo filmes de ação em Hong Kong.

      • Bom, o Wang Yu não é exatamente um ás do kung fu, hehe. Mas gosto um bocado dele.
        Isso lá é verdade, antigamente essa rapaziada toda, se não eram grandes artistas marciais, ao menos eles treinavam com certo afinco. As coreografias longas, em longos takes que faziam seria impossível pra rapaziada de hoje em dia. Mesmo David Chiang, um ator que o pessoal costuma descascar com relação as suas habilidades, tinha muito mais tutano e talento.

  2. Excelente resenha e muita precisa.
    Que bom que as pessoas não desistem de suas intenções. Pois muitos, por avaliações como esta, desistem. Mas eles continuaram e hoje são o que são. Um exemplo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s