Bala na Cabeça (Bullet in the Head, 1990), John Woo

por Ronald Perrone

Bala na Cabeça deveria ter sido a terceira parte da trilogia de A Better Tomorrow, uma prequel mostrando o passado dos personagens dos dois primeiros filmes. Mas brigas de diferenças de opiniões com o produtor Tsui Hark fizeram com que a parceria chegasse ao fim. Só que o enredo escrito pelo próprio Woo (juntamente com mais dois roteiristas) era boa demais para ser simplesmente descartada.

O filme talvez seja o mais comovente drama de ação orquestrado pelo mestre John Woo. Nas palavras do próprio, é seu trabalho mais pessoal, um retrato de proporções épicas sobre a guerra do Vietnã visto sob um olhar peculiar bem diferente do que é mostrado nos filmes hollywoodianos. A narrativa pode ser dividida em duas partes. A primeira, com elementos autobiográficos onde o diretor relembra sua adolescência na Hong Kong dos anos 60; é sobre três amigos inseparáveis (Jacky Cheung, Tony Leung e Waise Lee) em meio às manifestações sociais do período, retratando a miséria e criminalidade. Quando um deles comete um assassinato numa briga de gangues, os três decidem fugir para Saigon em plena guerra do Vietnã.

A segunda metade é uma verdadeira descida ao inferno, com os três amigos sofrendo todas as iniquidades possíveis em sequências que lembram O Franco Atirador, de Michael Cimino, em caráter de tensão. Segundo John Woo, para filmar determinadas cenas ele se inspirou na dor que sentiu quando assistiu na TV as imagens do massacre da Praça Tiananmen, em Pequim. Embora seja repleto das frequentes e espetaculares sequências de ação, tiroteios intermináveis, que pontuam a carreira do diretor, o filme nunca descamba para uma simples diversão.

Bala na Cabeça é sério, violento, pessimista e os seus protagonistas não são os heróis românticos habituais dos filmes de Woo. Com belas atuações e direção, é uma das obras primas da fase oriental deste gênio do cinema de ação.

Anúncios

13 thoughts on “Bala na Cabeça (Bullet in the Head, 1990), John Woo

  1. Só não vou dizer que não tem como ficar melhor, porque o John Woo conseguiu fazer ainda melhor na sequência.

    • hoje em dia a tv aberta so passa porcaria. ainda bem que somos colecionadores e temos os nossos filmes preferidos sempre a mao.

  2. sem duvida o melhor filme que ja vi . tambem acredito que seja a opiniao de quase todos amantes do cinema chines

  3. Inomináveis Saudações a todos.

    Uma obra-prima que revela um tipo de filme que não é mais realizado. É o filme da minha vida ao lado de O Cavaleiro Das Trevas, um cult de proporções arrebatadoras que derruba todo filme de Ação Dramática já realizado no mundo.

    Já o assisti… Sei lá, até perdi a conta!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s