A Última Ameaça (Broken Arrow, 1996), de John Woo

por Ronald Perrone

Quem reclama do cinema ocidental de John Woo ou é preconceituoso ou não sabe se divertir com filmes que se assumem como uma grande brincadeira inverossímil em forma de ação. Em A Última Ameaça, temos explosões nas mais diversas escalas, tiroteios infinitos, trens se chocando, lutas em cenários impróprios, é ação do começo ao fim num espetáculo de coreografias estilísticas que John Woo inventou e reinventou a cada filme.

Claro que se formos analisar a carreira de Woo, A Última Ameaça se encontra numa fase que precede o seu declínio. Em comparação com seus trabalhos orientais, é inferior; mas com os filmes realizados após A Outra Face, é um ótimo exemplar de ação exagerado, descerebrado, que não ofende aquele espectador cujo desejo é apenas relaxar em companhia de um ótimo passatempo fílmico.

tumblr_n7q0wlPq2o1tecqmdo1_1280A Última Ameaça foi o primeiro grande sucesso do diretor em solo americano, após estrear em O Alvo, com Jean Claude Van Damme, o qual teve uma bilheteria mais discreta. Acostumado a orçamentos pequenos quando trabalhava em Hong Kong, Woo aproveitou muito bem o dinheiro, o bom elenco encabeçado por John Travolta e Christian Slater e contratou um roteirista que sabe desenvolver entrechos intensos de ação, Grahan Yost, o mesmo de Velocidade Máxima, que é fraco e limitado, na minha opinião, apesar do mote prender o público até o fim.

Travolta interpreta um major do exército americano que resolve roubar uma bomba atômica para chantagear o governo, conseguir uma grana e se aposentar com um trocado no bolso. Que trabalheira! Será que não havia uma forma mais fácil de conseguir isso? Mas tudo bem… Após conseguir a bomba, ele e seus capangas fogem pelo deserto do estado de Utah.

118_13_screenshotNo seu encalço está o oficial mais jovem e inexperiente vivido por Slater, quando ainda dava algum valor pela sua imagem, antes de estrelar filmes como Alone in the Dark, de Uwe Boll. O filme é basicamente essa trama de gato e rato pelo deserto, com Slater comprometido a impedir Travolta a qualquer custo. Uma baboseira, eu sei, mas um picadeiro perfeito para John Woo delirar em sequências de ação de encher os olhos.

A última Ameaça faz um inventário de todos os elementos que funcionam num filme de ação e joga na tela a cada 5 minutos. Quase não dá tempo de respirar e é isso que constitui o que há de mais saboroso no filme. A maioria daqueles que consideram John Woo um dos maiores gênios do cinema de ação (como eu, até), fica com o pé atrás num filme como este aqui, alegando que o diretor se ocidentalizou e etc. Claro que Woo teve de fazer concessões, mas estão lá todos os subsídios que formam o seu estilo. Até mesmo em seu piores trabalhos ele permanece fiel a suas peculiaridades deixando bem claro que ainda tenta fazer o melhor, embora não tenha funcionado todas as vezes nos últimos anos.

3-cleef2

 

Anúncios

5 thoughts on “A Última Ameaça (Broken Arrow, 1996), de John Woo

  1. O único John Woo que vi foi “A outra face”, que considero ótimo. Esse fiquei com preconceito de ver na época, confesso. Mas agora topo dar uma chance ao filme. Mas qual seria, afinal, o grande filme do John Woo?

  2. Fidani, os melhores filmes do Woo ainda são os realizados em Hong Kong. Recomendo pra começar Hard Boiled, The Killer, Bala na Cabeça, e os dois que ele dirigiu da série Alvo Duplo (A Better Tomorrow).

    Tirando o The Killer, todos eles tem resenhas aqui. Clica lá em cima, em diretores, ache o John Woo e divirta-se! ;)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s