O PAGAMENTO (Paycheck, 2003), John Woo

por Leandro Caraça

Uma década inteira em Hollywood fez estragos em John Woo. O Pagamento só não representa o ponto mais baixo de toda sua carreira por causa das suas experiências na televisão americana (Missão Secreta, The Robinsons: Lost in Space). Baseado num curto conto de Philip K. Dick, o filme mostra Ben Aflleck como um especialista em engenharia reversa, que acaba contratado para um serviço de três anos. Após isso, ele terá a memória deste período apagada. Terminado o serviço, ele vai coletar a grana, mas para seu infortúnio ao invés do dinheiro recebe apenas alguns objetos… que foram deixados por ele mesmo. Enquanto tenta resolver o enigma, precisará escapar das pessoas que estão tentando matá-lo por alguma razão. A partir de uma premissa bastante interessante, Woo comanda o filme no piloto automático. Resulta numa obra desprovida de emoção, com cenas de ação genéricas e o aspecto de ficção científica totalmente mal aproveitado.

Se a opção de Ben Aflleck como protagonista é um erro completo, o resto do elenco não é de se jogar fora (Aaron Eckhart, Paul Giamatti, Uma Thurman, recém-saída de Kill Bill). Mas nem mesmo eles são capazes de injetar alguma vida, e no final, O Pagamento se tornou uma das três bombas que Aflleck estrelou em 2003. As outras foram Demolidor – O Homem Sem Medo e Contrato de Risco – sendo que neste mesmo ano tomou um pé na bunda da sua então noiva Jennifer Lopez. Chega a ser constrangedor ver um cineasta como John Woo reduzido a um reles diretor de aluguel como acontece aqui, enquanto diretores como Walter Hill (em O Último Matador) e Alain Corneau (em Os Profissionais do Crime) conseguiram a proeza de montar espetáculos baseados no cineasta chinês, mas sem perder as suas identidades.

3 thoughts on “O PAGAMENTO (Paycheck, 2003), John Woo

  1. Realmente o John Woo, continuo, se assoberbou com os holofotes hollywoodianos e não é mais o mesmo. Essa é a adaptação mais fraca – das que eu vi – de um texto do Phillip K. Dick!

  2. Engraçado, eu só vi o filme uma vez, no cinema, e gostei, hehe. É uma bobagem, dispensável a beça e certamente que o Woo manteve as coisas meio que no piloto automático quando fez o filme, mas ainda assim ele é um diretor genérico mais divertido do que os outros. Até o Ben Affleck eu consegui aturar e, particularmente, gosto de como ele filma a cena em que ele e a Uma Thurman se apaixonam um pelo outro. Existem dramas com menos elegância do que essa cena.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s