DISPARO PARA MATAR (The Shooting, 1966), Monte Hellman

por Cesar Alcázar

Nos primeiros anos de sua carreira, Monte Hellman trabalhou diversas vezes com o diretor e produtor Roger Corman, exercendo variadas funções. Foi justamente o “Rei dos filmes B” que ofereceu a Hellman suas primeiras oportunidades como diretor. Em 1964, o então desconhecido Jack Nicholson teve seu caminho cruzado com o de Hellman durante a produção simultânea de Back door to Hell e Flight to fury, filmados nas Filipinas sob o patrocínio de Corman. O entrosamento entre os dois foi instantâneo e juntos prepararam novo projeto. Logo depois, ofereceram este projeto à Corman, que achou o roteiro de Nicholson sobre a questão do aborto muito deprimente e pouco comercial. Entretanto, o genial produtor sugeriu para a dupla a produção de dois Westerns nos moldes das películas realizadas nas Filipinas. Muito interessados, começaram logo a trabalhar: enquanto Nicholson escrevia o que veio a ser Ride in the whirlwind, a roteirista Carole Eastman concebeu o enigmático The Shooting.

A intricada trama começa com o ex-pistoleiro Willet Gashade (Warren Oates) chegando ao acampamento de mineração que possui em conjunto com outros três sócios. Gashade desconfia que estava sendo seguido, e encontra o jovem Coley (Will Hutchins) completamente desesperado. Coley explica à Gashade que, durante a ausência deste, um dos sócios da mina havia sido assassinado por um atirador desconhecido logo após a partida misteriosa de Coin, irmão de Gashade. No dia seguinte, uma mulher (Millie Perkins) chega ao acampamento e oferece mil Dólares à Gashade e Coley para guiá-la através do deserto até uma cidade chamada Kingsley. Durante a árdua viagem, Gashade percebe que a mulher está na verdade procurando por alguém. Em seguida, um pistoleiro psicótico, Billy Spear (Jack Nicholson), se junta ao grupo. Ele fora contratado pela mulher, e estava os seguindo à distância. A tensão entre eles aumenta na medida em que entram cada vez mais no deserto. Qual o motivo da jornada? Qual a real intenção da estranha mulher? Resta a Gashade resolver o mistério para conseguir sobreviver.

Nunca houve outro Western como The Shooting. Em um gênero acostumado a dramas e aventuras, a natureza estranha e quase incompreensível desta obra é de uma originalidade e ousadia impressionante. Para se entender o filme em sua totalidade, é necessário juntar as poucas (e discretas) pistas espalhadas ao longo da história. Sem dúvida, após o término de The Shooting, o espectador ficará um bom tempo montando as peças deste quebra-cabeça cinematográfico. O clima incerto e tenso da trama é sustentado por um excelente elenco com o sempre primoroso Warren Oates à frente dele no papel de Gashade. Millie Perkins interpreta a vilã com um misto de maldade e sensualidade. O jovem Will Hutchins interpreta o amigo apalermado de Gashade, um personagem que logo desperta a empatia do público. Por fim, Jack Nicholson dá uma amostra dos seus futuros papéis psicóticos e desequilibrados como o pistoleiro Billy Spear. Sua atuação parece uma versão exagerada do matador vivido por Jack Palance no clássico Os brutos também amam (Shane, 1953).

Após o término das filmagens, Monte Hellman passou o ano seguinte montando os filmes (este e Ride in the whirlwind) e o posterior exibindo-os em festivais ao redor do mundo. Embora tenha conseguido boas críticas em Cannes e no festival de Montreal, Hellman não conseguiu encontrar um distribuidor interessado em exibir os dois peculiares Westerns no cinema. O diretor levou seu trabalho a Paris, onde encontrou seu público. The Shooting ficou um ano em cartaz. Em 1968, os direitos foram adquiridos pela Walter Reade Organization, que dispensou o lançamento nos cinemas e vendeu estas magníficas obras para a televisão. Pouco visto durante duas décadas, The Shooting conseguiu formar apenas um pequeno grupo de admiradores. A consagração definitiva veio nos anos 1990, com seu lançamento em VHS e depois em DVD no ano 2000. Atualmente, The Shooting é um cult movie aclamado por público e crítica. O Brasil pôde conferir esta obra prima em VHS e DVD com o título Disparo para matar.

One thought on “DISPARO PARA MATAR (The Shooting, 1966), Monte Hellman

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s