DOCTOR FRANKEN (1980)

dr_franken 157

por Ronald Perrone

Ainda jovem, o nosso homenageado no DIA DA FÚRIA, Jeff Lieberman, já havia realizado duas belas demonstrações de como fazer cinema com pouco recurso e muita imaginação: Squirm (1976) e Os Assassinos do Raio Azul (1978). E é provável que o promissor talento do sujeito tenha chamado a atenção do veterano diretor Marvin J. Chomsky, que se dedicava à televisão naquela altura e acabara de ser premiado com sua série Holocaust. O novo projeto de Chomsky consistia em uma discreta releitura moderna do clássico Frankenstein e conseguiu convencer os produtores a chamarem Jeff Lieberman para co-dirigir o que seria o piloto de uma série. E assim surgiu Doctor Franken.

dr_franken 001

Pela imagem acima dá pra notar que Robert Vaugh é quem interpreta o personagem título, aqui na profissão de médico cirurgião. Quando um paciente chega ao hospital praticamente morto e sem os olhos, Dr. Franken o utiliza como cobaia para uma série de experimentos. A princípio, é feito um transplante de olhos, depois, substituição de membros que começam a gangrenar. Aos poucos, temos um indivíduo todo remodelado cirugicamente. O problema é que todos os procedimentos são feitos de maneira ilegal, camuflada pelo doutor, levantando algumas suspeitas e constragimentos no hospital.

Uma ideia que Doctor Franken procura explorar é o conceito de que as memórias podem ser armazenadas em outras partes do corpo humano além da mente. Portanto, o “monstro” criado por Dr. Franken, acaba visualizando as memórias trazidas do homem que possuía os seus novos olhos. Memórias que tem certa importância para a trama e geram vários conflitos à pobre criatura. É possível que talvez seja o monstro de Frankenstein mais angustiado psicologicamente que se tem notícia. E se a ideia base é um tanto original e bem contada, o resultado, por outro lado, acaba não tendo muita graça para quem espera um filme de horror. É tudo muito lento, na base da conversa e são raros os momentos de tensão.

dr_franken 076

O destaque fica por conta da boa construção de alguns indivíduos (em especial o próprio doutor do título, em uma excelente interpretação de Vaugh). Uma tentativa de criar logo de cara uma empatia por parte do público com os personagens para a série que viria a seguir. No entanto, muito aquém dos trabalhos anteriores do Lieberman (até porque ele apenas co-dirigiu, não há como comparar), Doctor Franken acabou ficando só no piloto mesmo.

2 cleef

One thought on “DOCTOR FRANKEN (1980)

  1. Hi there, I’m really interested by this film, how do you manage to see it? If you know a way to watch it, please answer me here or via email, it would be awesome.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s